A trip começa por um e-mail com uma promoção fantástica-relâmpago da TAP pelos 400 anos de Belém/PA. É assim pego pela ansiedade, tinha até à meia noite para decidir e organizar minha atribulada agenda e carente carteira.
Partindo do BrasilFui atrás das minhas milhas para o trajeto Rio/Belém/Rio, rapidamente um e-mail para Belém, aonde havia um convite para desenvolver um projeto na Ilha do Marajó e outro para Bordeaux em busca de uma amiga dizendo que enfim aceitaria o convite para uma visita a Terra Encantada dos Queijos, sim a França. Há alguns meses já seguia o tornejando de uma bela chesseshop e bar em Lisboa e enfim poderia ver tudo in loco.
Algumas pontas acertadas, era hora de afastar as preocupações pela economia do país e me jogar mais fundo no projeto e paixão, queijos artesanais. Assim ainda embalado pelos fogos de réveillon surgiu essa trip queijeira. Junto com outros e-mails buscando queijeiros e demais apaixonados, fui apresentando meu projeto com a Quejo com Prosa e desenhando a minha viagem. Ótimo, era hora de tirar o mofo daquela amiga de aventura, e depois de quase 4 anos, minha mochila de tantas viagens, iria voltar a me acompanhar.

Dia 15 – O primeiro dia da trip, começou bem cedo na segunda, depois de um final de semana maravilhoso e intenso de trabalho na Junta Local. Trânsito para o Aeroporto. Aeroporto ficando bonito para os jogos olímpicos,espera em Belém, voo para Lisboa. Apaguei!