Uma manhã para conhecer a cidade de Bourdeaux, suas ruas, belas construções, cafés e deliciosas lojas. Enfim um dia dedicado a uma das especialidade da cozinha francessa, patisserie.

Numa linda cafeteria, com decoração Art Nouveau e belíssima vista para a praça central, onde um Vintage Carroussel fazia a alegria das crianças, me reporto ao passado, e me afogo em forte emoção, pelas dificuldades atuais e principalmente pelas lembranças da minha mãe. Criada no Sion/RJ,tradicional colégio francês, preencheu minha infância com muitas referencias francesas, musica, livros, poemas, em casa ouvia o musica francesa e cantava baixinho, nos servia sopas e fazia questão de falar sopa de “petit poa’.

Sei como ela tbm gostaria muitíssimo de estar vivendo o ‘sonho’ que ali vivia. Lacrimejando e me controlando, mas sem deixar de sentir aquela forte e pq não gostosa emoção, me lembro tbm da minha vó, ao me despedir, recitando um verso francês e desejando ‘bon voyage”.

Uma pausa a tarde para responder uns e-mails e adiantar meus trabalhos, um evento de degustação de queijos guiada no bairro do flamengo, a visita e acolhida de um grande amigo e excelente queijeiro do Serro/MG (Tulio Madureira), palestra no ultimo dia do maior e mais amado festival de cerejas artesanais do Brasil, em Blumenau, com o tema: “Da tábua a taça, uma passeio pela cultura e sabores do Brasil” e os projetos com a Junta Local. E não menos importante tirar o atraso acumulado no nosso Diario de Bordo!

A noite para despedir dessa charmosa região, um tradicional restaurante italiano de Bourdeaux, onde o dono mantem no sub-solo uma longa e belíssima coleção de vinhos e grandes peças de Grana Padano, Pecorino e Parmesão, sob tuneis e salas de pedra com temperaturas controladas. Mal sabia eu que esse seria meu único jantar em toda a trip.